Sunday, October 07, 2007

Sócrates estava certo

Quando eu lembro daquela expressão “Só sei que nada sei...” dita pelo filósofo grego Sócrates, cada vez mais concordo com ela.
Porque quanto mais se vive, mais ainda a gente tem que aprender.
Quando eu era pequeno, quer dizer, mais novo, que pequeno eu ainda sou; eu pensava que quando ficasse mais velho eu perderia certos medos, e alguns realmente sumiram, outros aumentaram de tamanho, mas em compensação aparecem várias outras categorias de medo, e das mais diferentes qualidades que poderiam existir.
Quando eu era mais novo, eu pensava que quando fosse adulto, ou pelo menos quando achasse que seria, eu não iria mais gostar de bolo, torta e de salgadinho elma chips, que nada, ainda gosto, embora sempre preferi o salgado a doce os bolos ainda fazem parte de meu paladar.
Quando eu era pequeno, eu pensava que quando tivesse certa idade tudo aconteceria automaticamente, por exemplo, faculdade=pegar diploma=trabalhar num emprego onde a gente ganha bastante que nem o pai da gente ganhava, ou pelo menos a gente achava que era bastante, porque sei lá que milagre ele fazia, mas ele conseguia ter dinheiro pra muita coisa, e quando eu comecei a trabalhar, olha, é difícil fazer o dinheiro parar no bolso e sempre sobra mês no final do salário.
Quando eu era criança, nada que uma noite de sono não fizesse recuperar o cansaço, a chateação de um dia na escola, ou aquela discussão com o amigo que ficou meio chato de repente, hoje em dia, minhas noites tem a metade do tempo que elas tinham antes, ou pelo menos as horas parecem que passam mais rápido.
Quando eu era novinho, eu achava que posições de destaque ou de sucesso eram dadas as pessoas que são mais bonitas, ou que falam melhor que as outras, ou as que se vestem melhor, mas eu sempre fui bonito, nunca tive medo de falar em publico e olha que modéstia parte eu falo até bem, e de coração eu até que me visto direitinho, mas eu descobri que certas posições de destaque são realmente conquistadas a duras custas mesmo ou então compradas por valores ou troca de favores, mas nesse ultimo caso, pode-se enganar uma pessoa por muito tempo, muitas pessoas por pouco tempo, mas nunca enganará todos por todo o tempo; ainda busco a minha posição, ou pelo menos luto por isso, se um dia merecer quem sabe ...
Quando eu era pequeno..... ta bom, eu ainda sou pequeno.... eu pensava, com 17 entro na faculdade, com 20 ou 21 me formo, com 25 me caso e com 30 já serei papai....
Sinceramente, nada disso aconteceu, caminhos sempre são escolhidos, uns certos outros errados, mas são escolhidos, nos resta continuar vivendo.
Quando eu era muleque, eu sonhava ter uma tal carreira, muita coisa mudou, em certos sonhos eu vivi por um tempo, em outros ainda vivo, mas nunca foi e nem será como a gente imagina ou imaginou, porque há sempre escolhas e divergências delas, acontece nas melhores famílias, na minha também aconteceu...
Por falar em família, a minha nunca mudou, sempre foram os mesmos, até onde isso é bom ou ruim, isso eu não sei dizer, só sei que nunca será perfeita, e isso me preocupa, me faz pensar em tentar arrumar algo ou lapidar alguma coisa, não somente pra se viver melhor, mas eu penso “e se um dia eu tiver a minha própria familia?” como farei?

Caminhar, pelos caminhos dessa vida, e esperar ver o que cruzará a minha frente.

Muitas coisas boas, situações e gente maravilhosa já apareceram na minha vida, umas vieram e se foram, umas nem pararam, mas outras eu tenho vontade de abraçar e segurar pra sempre de tanto que eu gosto, de tanto que eu amo, de tanto que eu quero fazer só o bem pra elas,

A vida é uma dedicação, seja a uma profissão, seja a uma carreira, seja a seus entes queridos, seja pra alguém especial...
Querer fazer o bem, sem esperar nada em troca.
Amar, sempre amar.....
Sabe, vivendo dia após dia, eu só aumento minha opinião, só sei que nada sei, pois ainda não aprendi tudo, e sabe o que é pior? Ou diria melhor? Nunca aprenderei nem eu nem você tudo da vida, porque até o ultimo dia da vida da gente, até o ultimo segundo, a gente ainda pode aprender algo, com alguém de perto, com alguém de longe, com um desconhecido, com uma situação...
Aprender, essa é minha vontade, aprender a entender também, porque muita coisa a gente aprende mas não entende tudo não, essa é a vida, sempre complicando mais do que a gente pode esperar.
Mas se me perguntarem, “Mas tu não aprendeu nada? Tu ainda não sabe nada ou muita coisa?”, eu responderia de muitas formas, umas mais explicadas ,outras resumidamente.
Dizer “só sei que nada sei” não é o pé da letra, mas quem sabe exprime o sentimento de estar pronto a aprender algo diferente, ou quem sabe o desejo maior de realmente querer aprender mais de tudo e de todos.

Muita coisa essa vida me ensinou, mas muita coisa mais ainda eu tenho que aprender.
Pressa? Sim eu tenho, muita, mas tudo tem seu tempo, pra tudo e pra todos.

E eu? O que eu sei disso tudo?

Olha sinceramente......

Eu só sei que nada sei......,


Frase do dia - " Deus escreve certo por linhas tortas..."

Saturday, November 04, 2006

Um cachorrinho sozinho no meio da multidão

Certos episódios acontecem na nossa vida, simplesmente acontecem, nada de destino ou de profecia, mas acontecem diariamente, e muitos desses episódios passam de largo sem que a gente perceba ou que dê a atenção necessária ou o valor que merece, simplesmente acontecem e pronto, deixando de fazer o efeito que deveria realmente fazer em nossas vidas, em nosso ser, em nossa alma.

Eu estava indo pra casa num dia normal de trabalho, cheio de coisas na cabeça, problemas pra resolver, contando o dinheiro do salário, quente, muito quente, suor, e gente muita gente e barulho no centro da cidade.
Perto do terminal central de ônibus, em meio aos vendedores ambulantes de outros países que aqui tentam a sua vida, lanchonetes e a fila para a entrada no terminal, avistei um cachorrinho, sujinho, mas não imundo, sabe, é engraçado falar de expressões caninas, mas ele não parecia estar triste, nem pedinte de algo como comida ou carinho, estava só ali, parado em meio de seres humanos bípedes, gente vendendo bala de goma e bilhetes de transporte, olhei e percebi que ele ficou ali parado.

Comprei meu bilhete no guichê, e me dirigi a tal fila que fluía rapidamente, e passei pela frente do cachorrinho, ele ficava ali parado e por um instante ele me fitou com os olhos como se pensasse, é mais um daqueles humanos, ali ele pairava como quem apreciasse o espetáculo de humanos bobos que entram e saem de dentro de latas com rodas que andam pra lá e pra cá jogando fumaça.
Pensei em quanta gente que os trata mal ou chuta sem qualquer motivo aparente.

Fiquei pensando, primeiro porque cachorrinhos abandonados me cortam o coração, é sério mesmo, segundo em toda a situação, estranho traçar paralelos entre vidas ou situações.
Pensei em mim, que em muitas situações estive parado analisando ou apreciando certas coisas, me senti parecido com aquele cachorrinho.

Mas todo mundo tem seus momentos, afinal de contas a gente não anda por aí falando o tempo todo, nem fazendo algo específico toda a hora, certas vezes a gente caminha pra algum lugar, mesmo que tenha um destino certo ou compromisso pra isso, mas pelo caminho a gente pensa, pensa muito em muita coisa, o silencio é apenas externo, nossa mente parece gritar e milhões de coisas pulam e saltam em nossa cabeça, problemas se resolvem outra pá deles se cria, cismas e criticas, preconceitos e traumas, tudo isso nos acompanha e faz nosso silêncio aparente um barulho ensurdecedor internamente.

No dia seguinte, aí sim o destino, se é que pode se chamar de destino, me mostrou uma outra situação.

No ônibus eu avistei um garoto, ou melhor, já um homem formado, mas pra mim ele ainda parecia um garoto. Reconheci que ele estudara no meu colégio, não na minha série nem na minha sala, mas eu de vez em quando o avistava no recreio do colégio fazendo seu lanche sentadinho num canto ou em pé mesmo, com poucos amigos ou sozinho na maioria das vezes, o que me chamava a atenção era o potinho que ele sempre carregava, um potinho daqueles famosos "tupperware" azul claro com a tampa branquinha, que ele trazia o seu lanchinho, provavelmente preparado pela mãe, me recordava sempre do jardim de infância onde eu tinha minha lancheira e um potinho de suco da mesma marca, isso me fazia bem na maioria das vezes.

Pensava na solidão dele as vezes ao observá-lo mas nunca procurei conversar com ele, coisa de adolescente bobo. Os anos se passaram, eu me formei, entrei na faculdade e nunca mais vi esse garoto, o tempo passou mesmo, e nessa manhã eu reconheci o garoto do potinho no ônibus, agora um homem de roupa social e maletinha na mão.
Interessante, me deu uma vontade enorme de falar com ele, de perguntar se ele lembrava de mim, só por saber que a figura dele sozinho no recreio fazia parte de minhas lembranças de colégio, mas não o fiz novamente, e ao sair do ônibus, descemos no mesmo ponto, e ele rapidamente me fitou com os olhos, pareceu por um segundo que ele me reconheceu, mesmo agora eu com os cabelos bem compridos e o rosto e corpo mudados pelos anos, mas senti sim, e seguimos nossos rumos.

Nesse dia na hora do meu almoço eu pensei por uns minutos em tudo o que acontecera, e na mensagem que a gente recebe mas nem sempre absorve, em momentos que desperdiçarmos pensando em pecados e porcarias de nossa vida, festas e coisas fúteis, tempo em que poderíamos estar sendo úteis, mesmo que tenhamos que ficar em nosso silêncio barulhento internamente, andando por aí, atravessando ruas, esperando em filas de banco, dirigindo ou sentados num banco de parque, praça ou shopping.
Senti muita vontade de falar com pessoas, de abraçar meus amigos e amigas, me senti pequeno perante a esse mundo enorme em que vivemos, me senti só.

Percebi na verdade que mesmo com um mundo moderno, com as milhares de coisas que nos acontecem diariamente, tem certas horas que ficamos na mais profunda solidão, mesmo em meio a uma multidão, mesmo em silêncio ou no mais ensurdecedor alvoroço.

Nós não passamos de cachorrinhos sozinhos no meio da multidão, apreciando o dia-a-dia esperando alguém nos chutar .




Frase do dia : "Poder moderno é falar a verdade, ainda que seja incômoda."
Ciro Gomes

Thursday, December 08, 2005

Quando eu era criança...

Porque quando se é criança tudo é mais fácil ? Ou seria tudo menos difícil?
Não sei explicar, mas quando a gente é criança as coisas são bem diferentes do que são hoje...
Quando eu era criança eu imaginava que era só estudar, ganhar aquele papel enroladinho com uma fitinha num dia de festa com uma roupa comprida e um chapéu engraçado e todo mundo iria te chamar de Doutor.
Sério, eu queria entender quem põe essas coisas na cabeça das crianças, de que tudo é fácil , e que o pior dia da sua vida demora realmente 24 horas pra terminar.
Acho que pior que isso é quem tira essas coisas da nossa cabeça....

E aquelas brigas sangrentas sem sequer encostar um dedo no adversário? O que era aquilo?
O pior xingamento não passava de bobo ou feio, e a pior coisa que existia era depois de ouvir alguém te xingando falar: - tua mãe é que é...
Nossa, aquilo sim era uma ofensa irreparável.

Chorar não era vergonha nenhuma, as vezes até se chorava sem sentir dor, as vezes só pra conseguir começar algo, ou fazer algo parar, e funcionava...
Ganhar uma bicicleta era como se os pais pedissem perdão por terem sido maus conosco nos anos anteriores, porque a gente amava eles mais do que nunca depois disso. Não que não se amasse antes, mas é que pra criança esses valores normalmente são lembrados depois de um presente, e quanto maior o presente, maior era o perdão ou o credito por algo ruim que estaria por vir. Talvez por isso algumas crianças ganhassem mais presentes do que as outras, observem os pais quando vir isso acontecer e verá o quanto estou certo.

Como era bom ter um amigo, e como o dia ficava mais colorido ou mais alegre ao passar a tarde brincando de alguma coisa boba e simples, e cheio de outros amigos imaginários, os seus e os dele, do seu amigo de carne e osso ali na frente.
E como era fácil tangenciar a linha do amor e do ódio que tem sua tênue linha entre eles, pois tão fácil era ter um melhor amigo, e tão fácil também era olhar pra ele e dizer : não sou mais teu amigo.... O mais fácil de tudo isso era voltar tudo ao normal, nem durava 5 minutos na maioria das vezes, pois quando criança, o amor e a amizade falam sempre mais alto e os laços que hoje quase nunca se refazem lá naquela áurea idade se refaziam muito rapidamente.

Como era bom subir num pé de qualquer fruta e passar horas comendo e falando de coisas simples com os amigos, correr horas com o cachorro pelo quintal e achar aquilo o Maximo, soltar pipa e ficar olhando e pensando “ como é que ela fica lá em cima tanto tempo...”
Como as coisas são mais lindas quando a gente é criança, nunca uma flor foi tão bela, nunca um cheiro de bolo recém tirado do forno foi tão doce, nunca arrancar um dente e trocá-lo por uma moeda foi tão divertido, nunca os arranhões e machucados no joelho foram as piores coisas do mundo, nunca uma nota vermelha no boletim foi a coisa mais temida no final do mês, nunca sentar na frente da TV de tarde foi uma recompensa tão boa, nunca ficar de férias foi tão gostoso...
Quando criança, as dores passavam mais rápido, e naquela época não sabíamos o que era o amor por outra pessoa que não fosse nossa mãe ou nosso pai, nem a dor que ele pode causar.

Tudo era mais facil
Saudade? Não, eu diria inveja, pois nós adultos esquecemos quase todos esses gostos, cheiros e sensações.

Sabe
Se você é meu amigo, pode passar aqui em casa amanhã, bate lá na frente ou toca a campainha, e se minha mãe atender, não tenha vergonha e de lá da frente pode gritar:
- “ O Carlos pode brincar tia Nilda ? ”

Porque saiba você que eu posso, e a gente vai ficar a tarde inteira correndo e brincando.
Do que? Bem, temos esconde-esconde, pega-ladrão, bicicleta,vídeo-game, tudo, tudo a nossa disposição, e se não quisermos fazer nada disso, a gente procura o primeiro pé de goiaba, ameixa ou carambola e sobe nele pra comer fruta...

Mas venha, senão eu fico de mau.....


Frases do dia :
" ... nem sempre os pais sabem mesmo o que é melhor pra gente !!!"
" ...porque sabe né, no final eles (quase) sempre estão certos ..."
Paola Sbeghen Gelbert

Tuesday, November 15, 2005

Cheirinho de Grama Cortada

Você já sentiu o cheiro de alguma coisa que te lembra algo ou alguém ou ate mesmo um tempo que você viveu ?
Existem alguns cheiros e gostos que me trazem boas lembranças, normalmente as más lembranças são de coisas que vejo ou ouço, ainda bem, mas muitos gostos e cheiros me trazem boas lembranças.

Ontem a tarde ajudei minha mãe a cortar a grama, e o cheiro da grama cortada me faz lembrar um senhor, Seu Paulo, ele era o homem que cortava a grama da minha casa antiga, ele era um senhor idoso, um alemão bem tradicional, de cabelinho branco, óculos, bem magro e alto, do interior, que chegava sempre muito mas muito cedo na minha casa, 6:00 da manhã, com todo mundo dormindo ainda e ele entrava no meu quintal e começava a cortar a grama.
Não pense em alguém cortando a grama com aquelas maquinas elétricas, nem a gasolina, ele cortava com aqueles Zenzos, muito antigos, aquele instrumento que normalmente é lembrado quando em desenhos animados aparece a figura da morte, ela normalmente carrega um na mão, e muita gente confunde com uma foice, mas não é, ele é feito pra cortar grama mesmo.
E lá ia ele, o Seu Paulo, com sua bolsa de couro, onde dentro ele carregava uma pedra de amolar o zenzo, um martelinho, um lanchinho, normalmente um pãozinho caseiro que sua mulher fazia recheado com musse de banana, de goiaba ou com linguiça, uma garrafinha de café, uma caixinha de fósforos e um kit de montagem de cigarro de palha, eu achava muito engraçado, ele enrolava seu cigarro com palha de milho e fumo de rolo picado, aqueles cigarros não ficam acesos o tempo todo, se parasse de tragar ele apagava, e lá ficava o seu Paulo com o cigarro apagado na boca, então ele o colocava atrás de sua orelha.
Eu brincava dizendo que ele fumava de ouvido, mas nunca falei isso pra ele não.

Eu era criança, e como toda criança, tinha uma vontade de conversar muito grande, mas o Sr Paulo era muito quieto, não sei se pela idade ou se pela falta de paciência com crianças, mas ele não falava muito comigo, passado o tempo percebi que ele não falava muito com minha mãe também, nem com meu pai, então deduzi que ele era um homem quieto mesmo, e me senti mais tranqüilo, e pensei comigo “não é que ele não gostava de mim, ele era quieto mesmo”.

Eu admirava muito a disciplina do seu Paulo, num mundo moderno de hoje não se vê mais pessoas que cortem a grama com instrumentos tão antigos assim, alias, nem naquela época era comum de se ver isso, talvez por isso me chamava tanto a atenção e me fazia ficar olhando o Sr Paulo cortar a nossa grama.

Ele começava muito cedo como eu mesmo disse, muitas vezes eu acordava com minha mãe dando bom dia pra ele, eu tomava café da manhã e ficava espiando ele cortar a grama.
Ele usava um chapéu de palha de aba larga pra cortar a grama, certa vez eu encontrei com o Seu Paulo no supermercado perto da minha casa e ele estava usando um outro chapéu, um tipo Panamá, achei aquilo o Maximo, pois esse costume era muito antigo, e provavelmente pra ele um homem deveria estar sempre de chapéu e bem alinhado.
Todo o seu ritual era sempre o mesmo, ele parava, afiava o zenzo, montava seu cigarro de palha, tirava seu lenço do bolso e limpava o suor da testa.
Seu Paulo, com seus suspensórios, de chinelo daqueles de couro tipo o chinelo do Vovô, ou de bota zebu. Ele parava de cortar grama lá pelas 9:00 horas e fazia o seu Fruhstick, pra quem não sabe o que é, é o café da manhã que é servido por volta desse horário, Costume alemão, é um lanchinho pra agüentar até a hora do almoço, onde ele tomava sua garrafinha de laranjinha cheia de café tampada com uma rolhinha de plastico, e comia seu pãozinho caseiro .
Ele sempre terminava o gramado logo em seguida, mas como o costume era algo tão antigo, ele o respeitava toda vez.
Nunca vi uma grama tão bem cortada em minha vida, nenhuma maquina sequer chega perto da perfeição que era o corte de grama do Seu Paulo.

Hoje aquilo tudo me traz uma boa lembrança, e uma lição de vida muito grande, onde a disciplina e a humildade de servir a um propósito sem ter vergonha dele é necessária em nossas vidas assim como o ar que respiramos.
Muita gente como o Seu Paulo, não faz a idéia de quão importante ele é na vida das pessoas, não por cortar grama, nem por limpar sua casa ou lavar seu carro ou servir seu almoço, como milhões de pessoas ao seu redor o fazem diariamente, mas por dar um exemplo de humildade e disciplina.

Hoje lembrei disso quando senti o cheirinho da grama recém cortada.
Simples ?
Talvez...

Obrigado Sr Paulo, onde quer que esteja, pela lição de vida.

Fique com Deus


Frase do dia : "O laço que une a sua família verdadeira não é de sangue, mas de respeito e alegria pela vida um do outro."
Richard Bach

Saturday, November 12, 2005

Todo Fim e Seu Começo

Embora tudo o que começa tenha um fim, tudo o que terminou teve um começo, tudo o que se vive teve um propósito e todo propósito tem sua causa, toda a ação tem sua reação embora muitas sejam em sentido contrário.
Normal, como todo e qualquer ser humano, como comum, eu neste sábado, após a semana conturbada, onde tudo parece acontecer diferente, tudo parece ter sido para dar lições de vida, acabo eu me defrontando com uma lição grandiosa e bela.

Eu acredito que a gente deve estar atento aos pequenos detalhes que vida ou as pessoas nos proporcionam, pois eles é que nos dizem as maiores coisas e as mais valiosas.
Eu estava assistindo a um filme dias atrás, filme esse que eu já havia assistido no cinema, mas que por aqueles motivos que não tem explicação, me passou uma mensagem diferente do que passara da primeira vez.
Me fez pensar sobre a liberdade, a paz que a gente tanto procura, a tranqüilidade de viver sem ter que travar lutas, de amar sem se preocupar com a recíproca, pois ela é verdadeira.
Me fez chorar, soluçar como criança por horas, recapitulei minha vida toda e me reduzi a mais pequena parcela do ser humano. Pois a realidade quando se apresenta é dura, e isso fere profundamente.
Não vou tentar aqui explicar pois acredito que nem todas as palavras do mundo possam exprimir o que um sentimento pode fazer numa pessoa. Você deve estar se perguntando, o que diabos aconteceu nesse filme? O que ele viu de tão especial ? O que pode ser tão poderoso?

Trata-se de uma simples explicação : Que toda guerra até hoje foi em busca da paz, toda batalha que travamos é pra atingir alguma posição confortável como a tranqüilidade, ou a bem-aventurança, eu fiquei perplexo ao entender que a paz é um sentimento tão nobre e tão difícil de ser alcançado que talvez nunca consigamos.
Pensei comigo, que se eu tiver 1 minuto antes da minha morte, e que nesse minuto eu consiga fazer com que todos os meus queridos estejam bem, eu morrerei a pessoa mais feliz do mundo.

"A paz todos procuram, e somente alguns encontram."

Façamos a paz ser lembrada a todo instante, quem sabe assim ...

Frase do dia :
"A felicidade não depende do que nos falta, mas do bom uso que fazemos do que temos." Thomas Hardy

Thursday, November 03, 2005

Tranquilidade e seus Afins



Sinceramente, o que é a tranqulildade ?
Tava eu aqui pensando em tranquilidade, e se tranquilidade for ter tudo em ordem, nada faltando, tudo perfeito, tudo certo, sem problemas... então ninguem tem tranquilidade no mundo.
Sim, pois trabalho te dá dor de cabeça, tu resolve afinal tu é experiente e absolutamente apto , mas dá dor de cabeça.
Amores, quando eles existem, e se existem, eles doem, tanto pra bem quanto pra mal (principalmente), tu dá um jeito, mas incomoda e machuca.
Família, sempre tem um que quer ser melhor que o outro, nunca ninguem dá o braço a torcer, e tu sempre não está com a razão, incomoda, tudo passa, mas incomoda muito.
O cachorro, é lindo, é bacana bricar com ele, mas ter de comprar ração todo mês, levar pra vacinar e dar banho dá trabalho, incomoda um pouquinho, é prazeroso também... mas incomoda. Afinal, o que não nos incomoda?

O cotovelo !!!!!

Um amontoado de pele grossa por cima de uma junção de ossos e articulações, sim, o cotovelo nunca me incomodou.... Porque diabos as pessoas usam a expressão " Dor de cotovelo!!!" ?
O meu nunca doeu, nunca mesmo.... A vida moderna, o asfalto, a fumaça e as buzinas , ou seja, tudo isso, nos trazem muita coisa, menos tranquilidade....

Vou me mudar pra uma fazenda, usar fogão a lenha, tomar leite nas tetas da vaca e comer repolho !!!!!

Frase do dia : "Depois do silêncio, o que mais se aproxima de expressar o inexprimível é
a música."
Aldous Huxley

Wednesday, November 02, 2005

Lição de Vida

Questões intrigantes da vida seja ela moderna ou antiga, desde quando a vida é vida se tem questão relacionada a ela na cabeça.
Não importa o quão feliz ou triste você é, viver não é fácil, nem difícil, somente é viver...
Mas somente viver???? Viver não é só nascer, crescer, aprender um punhado de informações básicas pra crescer, outro punhado delas pra ser ou ter alguma profissão, mais um pouco quem sabe pra aprender a se relacionar, amigos X trabalho X Amor X dinheiro ou a falta dele, aprender....
O que é viver? Eu te pergunto, pois nem eu sei ainda....

Viver é aprender, desde a hora em que você deita a sua cabeça no travesseiro e repensa ou relembra o seu dia que passou, passando pelo seu sono e seus sonhos que nem você entende, e a hora que você desperta, troca de roupa, toma seu café, liga a TV, vai ao trabalho, almoça, volta ao trabalho, vai pra casa, janta, toma banho, veste o pijama e novamente deita sua cabeça no travesseiro pra mais uma noite de descanso e sonhos confusos... Você aprende, você aprende com todos e todas as pessoas e ações, tudo o que você faz ou vê, você deve absorver como lição, porque nada mais que as lições pra te ensinar o que é a vida, e que a vida é aprender...
Com grandes exemplos, ou com situações tão pequenas que algumas pessoas nem sequer dão bola e elas duram no Maximo uns 30 segundos dentro de sua mente... Aprenda, veja, absorva e leve consigo, pois essas lições são grandes e grandiosas para a vida e pra aprender com a vida, que não passa de uma enorme classe cheia de alunos, muitos que você não conhece e nem conhecerá, mas eles estão ali ao seu lado sentadinhos prestando a atenção na aula que esse grandioso Deus nos dá todo dia....

Você tem prestado atenção na aula?
Têm feito a sua lição de casa ?
Quais são as suas notas?
Você concorda que se estudar mais sua avaliação será melhor?

Faça a sua parte........

E viva, a vida.



Frase do dia : "Ser deselegante é ser espaçoso demais e incomodar o outro em qualquer sentido."
Marieta Severo